quinta-feira, 11 de junho de 2015

16º Capítulo − Tens muito que aprender sobre a Miss Lovato ✓




It's not what I'm used to
Just wanna try you on
I'm curious for you
caught my attention
− Katy Perry in I Kissed a Girl

Demetria sorriu ao lembrar-se que em breve ela seria sua e Demetria seria de Claire. Saiu do conforto cuidadosamente e deslocou-se para a cozinha.
− Diz-me! Vocês estavam a tomar banho juntas. – Uma voz familiar assustou Demetria, que acabou por derrubar alguma água do copo. – Não adianta negar, lindinha!
− Caralho, Selena Marie! Que história é essa de me pegar no banho com a Claire? – Demetria deitou as mãos à boca depois de se dar conta que falou demais.
− Tenho de fazer mais vezes isto contigo! Agora conta-me! – Selena puxou uma cadeira e colocou as mãos segurando o queixo, como uma apresentadora coscuvilheira.
− Bom, tudo começou assim… − Demetria contou tudo a Selena que sorriu ao saber que Demetria e Claire estavam quase a namorar.
− Sabes o que eu acho? Que alguém tem muito fogo para apagar. – Selena pousou as suas mãos nas de Demetria, como reconforto. – Okay, estou a brincar! Não que isso não seja verdade, Demetria! Eu sei que vocês se vão acertar, sem qualquer sombra de dúvida. – Selena sorriu.

Saturday1, 09:14 A.M. Lovato’s House, Washington D.C.
O seu toque era divinal, era como estar nos braços de um anjo, ou algo semelhante. Ela podia fazer isto para sempre sem se cansar do seu creme corporal com cheiro a melancia, porque, Claire não usava perfume para dormir, colocava um creme corporal.
Era a terceira vez que ela dormia na cama com Demetria, não que tenha havido algo, Demetria mordia o lábio antes de agarrar nas suas curvas delicadas, como um pecado vestido de cura.
Quase que houve um beijo na segunda noite se não fosse o telemóvel/celular que tocava desesperadamente pelas notificações do Twitter.
Depois daquele barraco em casa, Eva decidiu afirmar que “Ela nunca se importou comigo. Saiu de casa depois de se assumir e dizer que não me queria nunca mais olhar. Ela odeia-me sem qualquer razão aparente.
Claire, ela deu uma entrevista a uma rádio e disse que os seus acreditariam nela, Demetria já fazia parte dela. Os seus fãs começaram a shippar fortemente Demetria e Claire. Os jornais, rádios, televisões, blogues… começaram a falar sobre uma possível relação lésbica com Claire. Muitos diziam que seria impossível, uma vez que Claire nunca tinha feito uma menção a dizer que sentia atração por mulheres ou mulheres e homens, apesar de várias coisas fazerem alusão a isso. O que eles sabem a respeito? O pior dos boatos foi dizer que Demetria era uma interesseira e que a seduziu, ou que seria apenas uma estratégia de marketing.
Tiveram dias que Claire não saía de casa ou não se alegrava. Isso doía imenso em Demetria, só que ela não desistia enquanto não tirasse um sorriso dela.
Demetria calçou os seus chinelos e caminhou para a casa de banho/banheiro. Queria começar a trabalhar mais cedo, para adiantar tudo no bar. Certamente, Claire ficaria triste por irem para a praia tão tarde, mas teria de ser assim, caso não quisesse paparazzis para assistirem ao “free show” de Longoria e Lovato.

Saturday, 10:04 A.M. Here We Never Growing Up Bar, Washington D.C.
− Demi? Não devias estar aqui somente às onze horas ou ao meio-dia? – Eddie abriu com a chave a porta principal do bar. – Está tudo bem em casa? A Claire? – Eddie adorava Claire, embora no princípio não tenha ido bem com a sua cara. Na maioria das vezes faziam o jantar em meios de brincadeiras, o que deixava Demetria com um fiozinho de ciúmes.
− Está tudo bem, só não tenho certeza que a Claire esteja também. – Demetria entrou e começou a colocar as cadeiras no chão. Alguns clientes perguntaram por Claire, pela sua voz, claro.

Saturday, 06:16 P.M. Lovato’s House, Washington D.C.
Claire acordou uma vez mais em desespero. Ela queria Demetria ali, a dormir junto ao seu corpo agora suado. O seu coração queria um conforto, alguma paz para refletir sobre Eva.
O seu único passatempo era dormir e comer, quer dizer, não eram as únicas coisas.
Demetria não sabia sobre o seu passado negro, planeava contar-lhe hoje. Mas como contar? O que Demetria diria ao saber de coisas que nem os fãs dela e Eva sabiam?
Claire ia pelo Notebook de Demetria ver o que os blogs falavam, mesmo Demetria tendo-a proibido de ver coisas tão fatelas sobre Claire, sobre elas. Ela via notícias sobre: estratégia de marketing, sedução paga, ou até mesmo assuntos de ódio da parte dos fãs cegos de Eva, dizendo que a filha de Eva estava gorda, feia… Tudo o que havia de mau para ser dito e ouvido.
A comida voltou a ser o seu refúgio, para uma depressão que ficou inativa durante meio ano. E depois? Uma corrida secreta até à casa de banho/banheiro e tudo era deitado fora.
Voltando um pouco atrás, por que a depressão parou por seis meses?

Claire nunca fora uma garota de frequentar discotecas ou algo do género, achava um “cliché adolescente pegado” e um tanto desesperado. Acontece que, ela queria algo diferente, ir numa discoteca e descontrair um pouco enquanto Eva flertava com o guião do seu próximo filme ou tentava perceber o porquê lógico do seu vestido entrar na lista dos melhores vestidos da Red Carpet dos Oscars.
A discoteca era nova na cidade, estava lotada de gente. Mal se podia mover entre as pessoas. Dirigiu-se até ao bar e pediu uma bebida. O cheiro do tabaco era inevitável naquela área.
− Claire? – Uma voz atrapalhada pela alta música soou perto de si, era uma menina de cabelos ruivos, elas conheciam-se do liceu. Nunca se tinham falado, apenas isso.
− Tu sabes o meu nome? – Claire assustou-se e depois suspirou. – Claro! Eva Longoria. – Ambas riram fraco. A garota de cabelos ruivos apresentou-se com o nome de “Elsa”. Por breves instantes o silêncio entre elas pairou, embora Elsa tivesse perdido a vergonha e começou a questionar-se sobre Claire. Começaram a construir uma amizade que passou a um pré-namoro não definido.

Nesse período de tempo, Claire dormia sempre que podia na casa de Elsa, já que Eva passava meses fora ou flertava com os guiões.”

Uma batida na porta despertou Claire dos seus desvaneios e doces recordações, um sabor amargo. A garota rapidamente fechou as abas do Notebook. Dallas entrou assim que bateu na porta e sentou-se.
− Claire, estás bem? – Dallas aproximou-se de Claire e pegou nas mãos dela. – Eu preciso perguntar-te uma coisa. – Dallas chegava a preocupar com a sua habilidade natural em ser direta.
− Força. – Foi a única coisa pronunciada por Claire.
− Tu e a Demi já se beijaram ou algo do género? – Claire suspirou de alívio. Ela pensava que Dallas perguntaria por algo sobre as corridas secretas.
− Não, ainda não. – Ela arfou pesado. Dallas notou a tristeza naquele suspiro curto.
− Tu ama-la muito, não?
− Demais, eu quis negar mas não dá mais! – Claire deitou a cabeça nas pernas de Dallas. – Ela é perfeita, sabe como provocar. Três dias antes, nós pegamo-nos, praticamente. – Sorriu com as lembranças. – O seu toque, as suas palavras, o seu riso, o seu tudo…
− É tão lindo ver-vos assim, caidinhas uma pela outra. – Dallas acarinhou suavemente os cabelos roxos de Claire. – Só acho que vocês deixam as coisas fluírem muito bem. Eu gostava de ser assim.
− Estás apaixonada? – Claire levantou a cabeça.
− Sim, mas isso não vem ao caso. Fala-me mais sobre vocês. – Dallas fugiu do assunto, uma das suas outras habilidades.
− Okay, podes fugir. – Claire riu. – Bom, eu tinha prometido para mim mesma que nunca mais me apaixonaria. Porém, a Demi apareceu do nada e tirou toda a força desta promessa. Eu não posso ficar chateada com ela por muito tempo, porque só de pensar no seu sorriso e no seu toque delicado mas que provoca uma descarga elétrica, Deus! – Claire abafou o seu rosto.
− Claire dá tempo à Demi, porque ela encarregar-se-á de tudo! Ela sabe muito bem o que faz, até demais! – Dallas sorriu para Claire. O telemóvel/celular de Dallas tocou, despertando os pensamentos de qualquer um que estivesse ali. O seu toque era uma música da P!nk. Impossível não rir do refrão daquela música, fazia qualquer um dançar.
Dallas riu muito quando Claire soltou a primeira gargalhada, a sua gargalhada era diferente, menos escandalosa que a de Demetria, porém mais estranha ainda.
Demetria e Dallas conversavam entre “sins”, “nãos”, “talvezes” e frases tão curtas que não davam de jeito nenhum para entender o que Dallas e Demetria falavam.
− Então? O que se passou? – Claire ficou preocupada, o seu coração palpitava sem parar. Isso não era normalTalvez fosse o efeito Demetria.
− Nada de anormal. Agora vai te maquilhar, vestir e tudo mais o que te torna mais bonitas ainda, garota! – Dallas abraçou Claire. – Achas mesmo que a Demi se esqueceria de te levar a ver a praia? Tens muito que aprender sobre a Miss Lovato.
Dallas saiu e deixou Claire com os seus pensamentos e dúvidas. Claire levantou-se vagarosamente, as suas pernas doíam, pegou em algumas roupas que se encontravam no chão.


Dallas encontrava-se encostada ao balcão da cozinha, com uma mão no telemóvel/celular e outra na sua testa. Talvez alguém falou com ela e disse-lhe algo que ela não gostou.
− Um jantar? Achas mesmo que depois de tudo isto no devíamos encontrar? Às sete? Vou tentar não me esquecer. – Dallas apontou algo na sua mão direita. – Ah! Claire estás aí há muito tempo?
− O suficiente para saber que vais jantar fora. Nem tentes faltar ao encontro! – Claire apontou o dedo a Dallas, corou. – Quando vieres quero que me contes tudo, sim?
Claire saiu, apanhar um pouco de ar iria fazer muito bem. Fazia algum tempo que não saía de casa, por isso as suas pernas doíam. Estava a escurecer, qual seria a ideia de Demetria? Ela sabia que a noite a assustava.
− Claire? – Uma voz soou perto do seu pescoço. Certamente, só não sussurrou no seu ouvido por medo de não ser ela.
− Demetria! Aleluia, voltaste! Pensei que não me levarias a ver a praia. – Claire olhou-a séria. A expressão do rosto de Demetria era de arrependimento. – Okay. Eu vou ceder desta vez, mas só desta vez! – Claire sorriu e segui-a ao entrar no carro.
− Desculpa, mas acho que este seria o momento ideal para te levar à praia. Sabes aqueles mosquitos chamados de paparazzis? Eles estavam lá ainda há pouco por culpa de um famoso que lá se encontrava. – Claire entendeu muito bem o prepósito de só conseguir ver a praia à noite.
− Sem problemas. Sabias que a Dallas está apaixonada? – Claire perguntou de modo a evitar um sério e desconfortável silêncio entre elas.
− Como não saber? Ela tem uma cara de imbecil ultimamente, tão carinhosa comigo e com a Maddie em plenas nove horas da manhã. – Claire riu.


− Parece que chegamos ao nosso destino. – Demetria sorriu e baixou a cabeça. Claire apressou-se a tirar o cinto e correr praia fora, só para sentir a areia debaixo dos seus pés. – Espera! – Demetria gritou atrapalhada.
Após sair do carro, apressou os passos longos para pegar na mão de Claire. Esta, simplesmente, corou levemente, não que fosse a primeira vez, a última foi quando Demetria dormiu agarrada a ela.
− Vamos? – Demetria sorriu entre dentes. Claire afirmou confiante de si mesma, como nunca antes se lembrou de ser. A areia fria fez-se sentir, como um misto de emoções que invadiam o seu corpo de modo tão estranho.
Demetria não pronunciou uma única palavra ou som. A sua mão apertou a de Claire cada vez mais, como uma ansiedade ou êxtase.
− Podemos sentar-nos ali? Se quiseres, claro! – Demetria perguntava receosa sem olhar diretamente para Claire. − Preciso te dizer uma coisa. − Demetria disse receosa e pausadamente, talvez com medo das suas próprias palavras.
− Diz-me… – Claire disse naturalmente com um sorriso nos lábios. Sempre carinhosa. Oh sim, esta foi a garota por quem Demetria se apaixonou.
− Eu… Eu amo… te. – Demetria disse num sussurro quase apagado.
− Não entendi. Repita, e com mais calma. – Claire fez Demetria ficar mais nervosa do que já estava. Isto parecia pior do que a beijar. Então, Claire pegou na delicada mão de Demetria e olhou no fundo dos seus olhos castanhos.
− Desculpa-me, mas eu preciso beijar-te. – Claire não se pode pronunciar, fez apenas uma cara surpresa pela declaração na qual não podia crer.
Demetria colocou as mãos quentes sobre a cara delicada de Claire. A respiração era calma, mas o seu coração estava transtornado e a mente, uma confusão.
O beijo era calmo, porém longo para um primeiro beijo. Transmitiu coisas que talvez nenhuma das duas soubesse que existiam. Elas nunca tinham amado de verdade.
Claire pegou na cintura de Demetria e deitou-a na areia, apesar de incomodativa não fez diferença neste momento. A mão de Demetria deslizou pelo peito de Claire que parou um beijo com pequenos beijos.

Continue…
Saturday1 – Este não é um erro na contagem dos dias, apenas é o sábado da semana seguinte

9 comentários:

  1. Ahhhhahhhhhh essas duas depois de muitos apertos tão se caminhando pro destino certo EEEEEEEBA hiii depois de meses voltei :-) uffa não tava mai aguentando ficr dependente dos outrosValeu pelas melhoras e peço desculpa pela ika(Erika não ter dado notícias minhas,ela se distânciou um pouco depois que me falou sobre seus sentimentos num sei qual motivo(cosa louca era pra mim fazer isso não ela) a senhorita CISSIZINHA ainda deu uma força :-O nao olha o erros inda nao estou de braço 100% fez falta em isso aquinun pensava quefaria tanto assim. Porque nun postou durante esses tempo? Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem-vinda de volta! Sim, depois de muitos amassos e apertos. Não tem de agradecer ^_^ . Mas como ficou isso entre vocês? Espero que tudo dê certo. Sim, eu dei, porque passei pelo mesmo, intende? Sem problema, gata! Eu não postei, porque fiquei sem tempo, desanimei e perdi um pouco da inspiração.
      Besos,gata!

      Excluir
  2. Da minha parte da tudo normal como antes. Pra ela acho que nao. Ah ika nao seguiu teuconselho AE O QUE FEZ: tive alta ela que me levou pra casa,sedeclarou e maluca afobada) me agarrou(carinho até demaismeu braço e perna pagou caro esqueceu até das fraturas)me beijou kkkk terminei pedindo umtempo. Nao veio mas me visita,nao atende nem responde nada que mando totalmente ignorada pela melhor amiga. To de muleta então pedi pra mãe ir pegar ela sábado(vai passar o dia todo pra descontar o tempode afastamento) e trazer pra mim nem que seja amarrada kkkkk. AI PODEREI TE DIZER COMO IRÁ FICA. To intendendo muito bem. Espero ainda comentar muito aqui viu senhorita CISSIZINHA kkkkkkkk nem que seja de mês em mês ;-) eeeeee

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fez bem em não stressar ou julgá-la. Ela não seguiu? COMO NÃO? Beijou? Sério? Ela foi depressa demais... Faça isso, vocês precisam se esclarecer! Me diga tudo! Claro, se quiser e se sentir à vontade. E se quiser até te posso contar a minha "história"/ versão. Gata, tem outra rede social? Tipo, para não contar certas coisas aqui?
      Com certeza, Dª Anna!
      Besos!

      Excluir
  3. Odeio quem julga as pessoas(não faça com os outro o que não querem para si próprio) acho que tenho culpa nisso SUPER SÉRIO mandou ver beijou beijou, ELA SABE QUE GOSTO QU VÃO DIRETO AO ASSUNTO,até desculpa pediu disse que nun tava mais aguentando kkkkk. To achando que ela me beijou no hospital (estava desmaida) :-O :-O blz Facebook: mesmo user que comento aqui. Faz tempo que to à vontade pensei que tivesse percebido. O qu me disse ta valendo pra você B-) CERTAS COISAS eeeeeee hahaha doidera vou tentar me conter,meio difícil mais vamos lá xeru B-)

    ResponderExcluir
  4. Respostas
    1. Nossa, calma, garota! Quem sabe se ela não te beijou mesmo?! Você gostou ou sentiu algo quando ela te beijou? Okay, já adicionei você!
      Não, não tinha percebido kkk
      Sim, CERTAS E DETERMINADAS COISAS! . kkk Você vai conseguir!

      Excluir
  5. To nas nuvens de tao calma ahhh mentira to confusa com os últimos acontecimentos De certa maneira pode-se dizer que sim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De certa maneira gostou? Tô de olho nisso

      Excluir