quinta-feira, 16 de junho de 2016

18º Capítulo - ...talvez os sentimentos que Claire transmitia não eram os mesmos que sentia



I'd catch a grenade for ya (yeah yeah)
Throw my hand on a blade for ya (yeah yeah)
I'd jump in front of a train for ya (yeah yeah)
You know I'd do anything for ya (yeah yeah)
Oh whoa ohI would go through all this pain
Take a bullet straight through my brain
Yes I would die for you baby
But you won't do the same
No no no no                                                                        - Bruno Mars in Grenade

Ouviu um celular tocar, parecia o de Claire. Isso fê-la lembrar que Claire não tinha chegado antes das 05 horas da manhã, ela podia saber o porquê.

            - Estou sim? – Claire falava baixo e muito devagar. Demetria não sabia o porquê de estar escondida da vista de Claire e a ouvir a sua conversa, era algo automático. – Ah sim, Tay! Claro que não esqueci, além de estar com puta ressaca de ontem. – Demetria ficou a pensar no apelido carinhoso de Tay, será Taylor Swift? Ressaca? – Claro, eu vou adorar encontrar-me consigo, hoje à noite! No “Here's to Never Growing Up“? – O sorriso de Claire desapareceu, a possibilidade de se encontrar com Demetria era de 95%, aquela menina não desgrudava do trabalho se não tivesse motivos. – Sim, claro que pode, Tay! – Claire desligou o celular e suspirou pesado.

            - Então? Você foge quando a gente se beija, porém é amiga colorida da Taylor Swift? – Demetria colocou-se à frente da porta do quarto de Claire. – É isso?! Responda, caralho!

            - Eu não te devo satisfações da minha vida, Demetria… - Claire aproximou-se de Demetria, os seus lábios quase se roçavam, talvez os sentimentos que Claire transmitia não eram os mesmos que sentia.

            - Não? E isto? – Demetria olhou bem nos olhos azuis de Claire, estavam bem ao natural sem qualquer maquilhagem à volta, as suas olheiras eram enormes. As mãos geladas de Claire deslizaram pelas costas de Demetria, fazendo Demetria sentir o seu coração mais acelerado. Demetria passou as mãos pelo peito farto de Claire, empurrou-a para dentro do seu quarto e trancou a porta.

            Demetria estava por cima de Claire, o que dava acesso livre e controlado ao pescoço de Claire. Demetria beijava toda a extensão do seu pescoço até chegar aos seus lábios rosados. Claire tomou o impulso e beijou lentamente Demetria, um beijo que continuou calmo. Claire abriu os olhos com brusquidão e empurrou Demetria para o seu lado direito.

            - Esqueça, sim? – Claire dava um jeito ao cabelo e deixou Demetria sozinha.

            Claire parecia quer brincar com os sentimentos de Demetria, o que a fazia entristecer, criou expectativas e deitou-as fora como se nada fosse. O que faria Taylor quando estivesse mais íntima com Claire?

            Demetria aguardaria de longe, iria tentar estragar os primeiros planos de Taylor, mas se Claire não quer ver, quem é Demetria para a fazer abrir os olhos? Exato, ninguém!

            Lovato caminhou até ao quarto de Selena. Ela não queria desabafar, mas queria conversar um pouco antes de trabalhar, e às vezes era stressante ficar das 09h até às 18h num bar.

            - Selena, preci… - Lovato fechou a porta lentamente, quando se virou, a sua boca formou um grande “o”. Miley e Selena se pegando. – Porque será que eu sempre soube que vocês se pegavam, hein? - Selena e Miley pularam de susto.

            - Agora, intendo! Agora, eu indento o porquê de gostar de mulheres. – Miley ria, enquanto Selena se tentava esconder por vergonha de ter sido pega. – Hey, mor! Sai daí, daqui a pouco temos de ir, vamos aproveitar! – Miley puxou Selena e a beijou.

            - Sim, acho que vou andando. – Demetria falava com uma nota de trauma na voz. Fechou a porta e andou o mais rápido possível, pensando assim em esquecer o que vira.

            Demetria desceu as escadas e viu um bilhetinho em cima da mesa, parecia a letra de Eddie. Porque Eddie deixariam um bilhetinho em cima da mesa?

            “Demetria,
            Só precisarei da sua ajuda às cinco horas da tarde, mas ficará até às oito, sim?
            Beijos,
                                   Eddie.”

            Era estranho quando tinha de entrar e sair mais tarde. Eddie só fazia isso de vez em quando, quando sabia que teria mais clientes nessa noite.

            Demetria não teria nada para fazer até essa hora, apenas regar o jardim da frente. Tudo seria muito mais divertido se tivesse Claire, ali. Ela poderia dizer tudo o que ia no seu coração, o quanto a amava.

            Todas as suas flores estavam a precisa de ser regadas, iriam murchar assim como ela, assim como o seu coração estava seco e carregado de um nada incrível!

            Demetria regava algumas rosas, orquídeas, glicínios… Muitos deles não tiveram salvação, uma pena, diga-se de passagem. Ela não gostava nada de os arrancar por estarem velhos ou “estragados”. Adorava a forma de como eram plantadas tal como o seu perfume natural, era aficionada por coisas naturais.

            O som de um carro a travar bruscamente ecoou, literalmente, nos ouvidos de Lovato. “Puta que pariu!”, pensou. A sua curiosidade em ver quem sairia do carro era inexplicável.

            A sua memória nunca iria esquecer aquele carro preto, nem num milhão de anos, nunca! As pernas esguias e sem qualquer tipo de bronzeado nunca enganariam alguém. De facto, ela preferia que fosse o seu ex-amigo colorido.

            Apostava consigo própria que Taylor estaria ali para transar com Claire, se dependesse de Taylor, ela fá-lo-ia ali mesmo ou na cama de Demetria. Sinceramente, Demetria tinha que fazer algo, algo pequeno, mas não deixava de ser algo, certo?

            Sorrateiramente, pegou na mangueira, posicionou-a como se tratasse de uma arma de fogo e estava pronta a “disparar”. O jato fino de água caiu directamente em Taylor, sucesso imediato, quando esta se preparava para colar os seus lábios rosa choque nos de Claire.

            Os gritos agudos de Taylor estremeciam o que havia à sua volta, ela poderia acordar os mortos com aquela vozinha esganiçada. Claire assustou-se e permanecia imóvel ao lado de Taylor.

            - Demi! O que está a fazer? – Claire deu conta de onde vinha aquele jato de água, apesar de ela querer ficar chateada, a sua expressão parecia conter o riso. – Demetria?!

            - Ria-se! A sua cara parece que vai explodir. – Demetria levantou-se e desfeche em gargalhadas. Claire ficou ainda mais enfurecida, pelo facto de querer rir e não o dever fazer.

Sunday, 04:49 P.M. Lovato’s House, Washington D.C.

Demetria calçou algo mais confortável, afinal ninguém merecia ficar cinco horas em pé e a limpar mesas depois de fecharem. Fechou a porta do seu quarto vagarosamente.

Desde os seus sete anos que tinha desenvolvido um tipo de raiva, uma raiva por quem batia as portas com força. Fazia o máximo para nunca bater uma porta com força, mas quando o fazia, pedia desculpas seguida com uma careta engraçada.

Ao travessar o corredor, ouviu umas risadas familiares, Claire. Incrível como ela tinha uma raiva de Taylor e de Claire, como ela podia cair nas palavras que eram as mesmas, de certeza, que ouvira? Ela teve o cuidado de lhe mostrar fotos dela e de lhe dizer que Taylor não prestava. Que raiva, que raiva ela tinha dela mesma. Raiva porque não fez crer Claire.

Lágrimas formavam-se, mas elas não escorreriam, não hoje. Ela daria tempo a Claire, para ela ver o quanto Taylor era podre.

Sunday, 05:10 P.M. Here's to Never Growing Up Bar, Washington D.C.

- Incrível, Demetria! De novo, atrasada?! Por quanto mais tempo isso vai durar?! – Eddie chamou a atenção de Demetria ao tocar na mini campainha no balcão que separava a receção da cozinha.

- Nem venha, Eddie! Estou farta! Estou com uma maldita dor de cabeça.- Demetria já tinha vestido o seu uniforme e agora fazia um rabo-de-cavalo desleixado no seu cabelo.

- Já percebi, Claire está a namorar a idiota da Taylor, não é?! – Eddie tinha um pequeno pano no ombro, contornou o balcão e ficou à frente de Demetria. Rápido as lágrimas que segurara há pouco estavam agora a rolar face abaixo. Eddie percebera o quanto Demetria a amava.

Sunday, 06:50 P.M. Here's to Never Growing Up Bar, Washington D.C.

            Estava tudo muito bem organizado naquela noite. George viera ajudar Eddie na 
cozinha e Clarisse, uma amiga vizinha da família, viera ajudar a servir à mesa.

            Eddie nunca falhava em relação se o dia iria ser cheio ou não. Como ele dizia “A velhice também é um posto”, e bem, como ele estava certo.

            Demetria atendia toda a gente com bastante simpatia, tinha parado de fazer performances à coisa de dois dias, porque dentro de uma semana retiraria as amígdalas.

Segurou um papel do bloco de notas no varal da abertura da cozinha com uma mola de roupa. Tomou um pouco de água e sorriu para George. Quando se virou, sentiu uma ânsia de vómito e uma tontura num misto de raiva e tristeza.

Claire e Taylor tinham vindo mesmo. Taylor nem tocou na cadeira, simplesmente pousou o seu casaco, deu um selinho em Claire e, talvez, foi à casa de banho.

Ela queria imenso ir falar uma última vez com Claire e quando se dera conta, bem, já ia na sua direção. A sua expressão fechou-se em desgosto. Claire olhava para o seu lado direito quando Demetria bateu com os punhos na mesa. Claire estremeceu de susto.

- A sério, Claire? Você é idiota, garota? – Demetria rangia os dentes. Claire olhou-a de cima.

- Não. Apenas estou com alguém que me ama de verdade, alguém que não é o que você diz ser. Sobretudo, alguém que não tenta algo logo no primeiro beijo.

- Ah, mas esse foi o problema?! Era simples a resolução. Era apenas dizer “Pare, Demi. Não estou pronta ainda.” – Demetria estava alterada, o seu coração estava pesado.

- Mas eu nunca te amei… - Com toda a serenidade, foi apenas isto que Claire disse.



Continue…

4 comentários:

  1. Não acredito nisso, clarie vai jogar com os sentimentos da Demi, que ser humano cruel, isso é o pior que alguém pode fazer com o seu semelhante.
    A mais pense que miley espertinha quer aproveitar ao maximo kkkk,
    Vingança de certa forma é algo bom mais nem sempre é o certo a se fazer.
    Dona Demi até o eddie estar a perceber teu sentimento, isso é bom ou ruim!!!
    Poxa isso faz qualquer coração cair aos pedaços, clarie sua satanás.

    Como pode ficar ficar meses sem postar e chega com uma maravilha dessas, nossaaaa quando quiser me agraciar novamente com suas idéias brilhantes estarei a esperar sempre ♡♡♡♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey, Lecy (Olha, inventei um novo apelido ahah)
      Sim, Claire está muito cega pela Tay, infelizmente
      Miley é puríssima u.u
      Verdade, gata!
      Até Eddie, quem diria!
      Claire Satanás? Ahahahah

      Ainda bem que agradei ahahahah
      Claro, porque não?!
      Besos, gata ♡

      Excluir
    2. Que que a eu to vendo coisas só pode,anjo me dando um apelido, nunca pensei que faria isso, lucy kkk manda ver chama como quiser.
      Kkkkkkkkkk é satanás porque ela está a despedaçar o coração de demi.
      A coisa mais difícil anjo me desagrada, nunca aconteceu e nem vai que eu sei.

      Excluir
  2. Por favor, pare com isso de que nunca pensava que fizesse, já parece as minhas colegas de turma sempre com merdas de que sou santinha e se fizer algo a primeira frase é "Nunca pensei isso de ti"
    Não se preocupe é algo momentâneo kkkkkk
    Okay kkkk

    ResponderExcluir